A empresária Paloma Danemberg e o artista plástico Antonio Bokel se unem para criar uma coleção de objetos cheios de alma e histórias, com venda exclusiva na Boobam.

IMG_0962-Edit
Paloma Danemberg, do ad.studio, e o artista Antonio Bokel: unidos pelo propósito de estabelecer sintonia entre o novo e o antigo. A coleção, proposta por ela, contempla 16 objetos de épocas passadas com interferências do artista.

Num depoimento à imprensa sobre seu trabalho, o pintor e fotógrafo Antonio Bokel, carioca de destaque no cenário da arte contemporânea, declarou: “Tento fazer nas artes visuais um pouco do que a música faz, a possibilidade de se comunicar sem que se use o raciocínio para buscar a sua compreensão. Quero que as obras tenham uma vibração capaz de chegar ao público por outros meios”. Foi esse pensamento sensível, unido a capacidade de inventar sobre diferentes suportes e a seu estilo de vida – Bokel é praticante de yoga e muito conectado à natureza – que fizeram Paloma Danemberg, dona do ad.studio, eleger o artista para estrear o projeto Soul Belivers (Aqueles que acreditam em almas), idealizado por ela com o intuito de convidar renomados profissionais para intervirem no acervo de peças antigas compradas em feiras e antiquários pela Europa. “Pedi para que ele ressignificasse os objetos, mantendo o fluxo da continuidade e da história dessas peças”, afirma Paloma, que tem uma das telas de Bokel em casa.

instagram-ims-balaio-entrevista
Frascos de farmácia portuguesa (séc. XX) da série Contém Alma de Artista: spray sobre vidro e tinta acrílica sobre papel remanescente de trabalhos anteriores de Bokel. Peças únicas.
26032018-IMG_5388-Editar
Praticando o Desapego: obra com giz sobre ardósia em lousa portuguesa antiga emoldurada de pinho. A peça de ofício é remanescente de um colégio português do início do século XX.

Para estabelecer a parceria, a empresária selecionou itens de diferentes materiais, como vidros de farmácia, peneiras de metal, lousas de ardósia, malas de couro e baús de madeira. “Apresentei também a Antonio uma coletânea de fotos, postais, cartas e documentos que eu e meu pai (o antiquário Arnaldo Danemberg) reunimos ao longo dos anos. Pertences encontrados dentro de malas e baús e que representam a essência desse projeto”, diz.

IMG_4798
Colagem e tinta acrílica sobre fotografia e objeto de argila inseridos em caixa-maleta portuguesa de cedro e mogno datada de 1900. Peça única da linha Contém Alma de Artista.
IMG_4811
Fotografias e documentos encontrados em baús e caixas antigos foram incorporados às obras assinadas por Bokel para o ad.studio.

Entusiasmado com o desafio, o artista definiu dois temas para a coleção: o Contém Alma de Artista, com pintura e colagens sobre os elementos que lhe foram propostos, e o Cura, relacionado à conexão com a natureza, no qual ele inseriu terra de seu sítio em Itaipava e fotos de plantas, cultivadas por ele, nos frascos de farmácia do início do século XX. “Encarei esse projeto como se estivesse realizando uma arqueologia da memória. Casei o antigo com o novo, inserindo os objetos de épocas passadas na arte contemporânea.” Para a jornalista Regina Galvão, Paloma e Bokel contaram sobre a experiência (veja abaixo).

instagram-AD-05-entrevista
Terra e foto polaroide inseridos em frasco de farmácia português do início século XX com rolha de cortiça. Item da série Cura.

Como foi trabalhar com o Antonio, Paloma?
Esse encontro foi frutífero e deu muito certo. Antonio se entusiasmou com a ideia do projeto e entendeu nossa proposta. Negou-se a pintar a madeira dos objetos e a manteve imaculada, o que já me impressionou, pois esse é um material que valorizamos muito no antiquário. Ele fez sutis intervenções nas peneiras, pintou sobre as fotografias, colocou as partituras remanescentes dentro das garrafas, e, nas maletas, os documentos, como se fossem caixas de memórias. Tudo isso foi bastante valioso e alimentou nossas almas como desejamos que alimente as de outras pessoas. Essa é a proposta do manifesto Soul Believers (confira no final da entrevista), projeto de minha autoria que inaugurei com o Antonio. Minha intenção é chegar até as pessoas que acreditam que a vida é muito mais do que o que presenciamos, oferecendo a elas objetos testemunhas de um tempo passado que perdura. Gosto de chamá-los Objetos com Alma.

instagram-AD-18-entrevista
Serigrafia sobre madeira e papel, terra e fotos polaroides inseridos em caixa portuguesa de pinho de 1900. Obra única da série Cura.

O que representou esse trabalho para você, Antonio?
Foi um grande desafio. Eram objetos com tantas histórias que foi delicado interferir neles. Nos frascos de farmácias da série Contém Alma de Artista, eu recorri à minha pesquisa da arte, na qual a criatividade representa um dos remédios de cura da humanidade contemporânea, além de uma ferramenta para o autoconhecimento. Inseri trabalhos remanescentes nos vidros e pintei-os com cores fluorescentes para contrastar com o antigo. A outra série eu chamei Cura porque ela se relaciona com a natureza e a terra, como provedores dos alimentos e das respostas às angústias do homem. Nas lousas, escrevi em giz várias vezes a palavra Apego e depois as apaguei suavemente, deixando apenas a palavra Apaga em destaque. A ideia foi representar o exercício do desapego. Lacrei também o livro Os Pensadores com prego, como já venho fazendo há algum tempo. Essa obra representa o fim da história, propondo o início de uma nova, num diálogo constante entre o passado, o presente e o futuro.

instagram-AD-11-entrevista
Livro Os Pensadores lacrado com prego e pintado parcialmente com tinta acrílica. A estátua de bronze complementa a obra produzida em peneira portuguesa de madeira castanho e ferro, datada de 1900.

 

Veja a coleção completa à venda no site da Boobam com exclusividade na loja
ad.studio por Paloma Danemberg

26032018-IMG_5301-Editar
A nova coleção do ad.studio, exposta no Antiquário Arnaldo Danemberg, no edifício Chopin, em Copacabana, ganhou cenografia de Andrea Brito, que contou com a colaboração do RL Escritório de Arte.

Manifesto Soul Believers

Aqueles que acreditam em alma. Aqueles que acreditam que a vida é muito mais do que está diante dos olhos. Do concreto. Do palpável. Alma como uma forma de entrega. De crença. De percepção do que está por trás. Objetos com alma, são aqueles imersos em história. Testemunhas de um tempo que passou e que perdura tendendo a não esgotar-se. Porque assim como a vida, que muda o tempo todo, os objetos ganham novos significados. Neste projeto, ad.studio por Paloma Danemberg convida Antonio Bokel a entregar-se à memória, a rever-se, a buscar o que alimenta sua alma e assim interagir com o acervo de modo a seguir o fluxo da continuidade. Elevando o objeto ao infinito, convidando o objeto antigo a dialogar com o contemporâneo, cruzando assim todos os tempos. O artista elegeu duas vertentes que representam sua alma: a “Cura”, resgatando o feminino, a conexão com a terra e natureza como provedores do alimento e das respostas para angústias do homem contemporâneo; e a “Arte”, na série de trabalhos “Contém alma de artista” como ferramenta do auto conhecimento e conexão direta com invisível e o atemporal.

Exposição: Ad+Bokel
Avenida Atlântica, 1782, lojas G/H. Ed. Chopin, Copacabana – Rio De Janerio

Cenografia: Andrea Brito e colaboração especial RL Escritório de Arte.
Fotos: Lucas Moraes

 

 

Posted by:Regina Galvão

Deixe uma resposta