Em um galpão equipado com serralheria e marcenaria, os designers Caio Bahouth, Lucas Portes e Vinicius Mesquita dominam todo o processo de produção das peças – a Boobam acompanhou um dia de trabalho deles e montou o ensaio fotográfico a seguir!

OFormigueiro-Boobam-10-08-18-Alta--4

Caio, Lucas e Vinicius se conheceram na faculdade de design, na PUC–Rio, na capital fluminense. Durante a graduação, eles desenvolveram juntos alguns projetos, e descobriram afinidades profissionais. No ano de conclusão do curso, eles tinham trabalhos independentes, mas mantinham a proximidade por meio de colaborações. “Nesse momento percebemos que nenhum de nós estava satisfeito com a maneira como o mercado poderia nos absorver. Tínhamos o interesse de empreender”, lembra Caio.
Desse desejo nasceu, em 2013, a empresa O Formigueiro.

“O nome é inspirado na lógica de trabalho das formigas. Assim como no formigueiro, em nosso estúdio cada um tem uma função e uma expertise, mas trabalhamos todos para um bem comum: a criação de produtos de design autorais”, explica ele.

OFormigueiro-Boobam-10-08-18-Alta--44

Segundo Caio, os sócios têm visões de desenvolvimento de produtos bastante diferentes, e é justamente por conta dessa diversidade que a empresa se torna tão completa. “Não existe nenhuma peça desenvolvida por apenas um de nós. O resultado é muito melhor justamente por causa dessa interação e troca”.

OFormigueiro-Boobam-10-08-18-Alta--11

O sucesso de O Formigueiro já se mostrou evidente nos meses iniciais da fundação da empresa. Os primeiros clientes foram escritórios de coworking, para quem desenvolveram o mobiliário dos espaços de trabalho. A partir desses projetos, eles conseguiram se capitalizar para então dar início à produção de suas próprias peças. “Foi um processo fluido, não fizemos investimento financeiro”, conta Caio.

OFormigueiro-Boobam-10-08-18-Alta--15-Correção

Eduardo-Magalhães-83

Eduardo-Magalhães-85
Lançamento de 2018, o Banquinho Zinho é versátil e pode ser usado como banco, mesa de centro ou lateral. Feito de madeira Sucupira e latão.

No mercado há cinco anos, O Formigueiro já conseguiu consolidar uma linguagem estética e identidade próprias. Eles exploram bastante as formas geométricas, as linhas retas e as sobreposições no design dos produtos. Por mais variadas que sejam as funções e escalas, a característica formal une tudo o que sai da prancheta do trio. “Gostamos de partir de uma forma geométrica básica e, a partir dela, criar peças inusitadas”, diz Caio, usando como exemplo o banco Aro, composto apenas por um círculo e um quadrado, mas trabalhado de forma inventiva.

21576921_125089368216752_5028623636588658688_n
Série Adornos: Banco Monolito, Banco Aro e Banco Chapa.

Outra característica marcante das criações deles é o desenho limpo, sem excessos ou firulas. Sem cair na estética minimalista, os designers gostam de trabalhar apenas com o que é de fato necessário para tornar o produto funcional, bonito e criativo. As peças não são óbvias e isso faz com que um olhar mais atento a seus detalhes possa se tornar revelador. “As luminárias de mesa usam conectores de guitarra. Tal detalhe pode ser percebido apenas se o usuário ver com atenção”, explica Caio.

luminaria-lumilu-edicao-limitada
Luminária Lumi.Lu | Edição limitada de 20 exemplares, feita de Canela Preta de demolição.

A preocupação em trazer um caráter inusitado para os produtos acompanha as criações de Lucas, Caio e Vinicius desde a primeira peça, a luminária Lumi.Lu, cuja conexão elétrica já era feita com fios e conectores de guitarra. De lá para cá, eles evoluíram tanto na dimensão dos produtos, quanto no nível de desafio dos desenvolvimentos – hoje fazem itens grandes e mais complexos, como mesas, poltronas e estantes. Há um equilíbrio entre objetos com estética mais comercial com outros bastante conceituais.

O-formigueiro-Aparador-MADE-5-alta
Lançamento de 2018: O Aparador Nodi, produzido em Jequitibá Rosa e aço carbono.

O-formigueiro-Aparador-MADE-3-alta-(1)

Além da experiência e maturidade, outro fator que possibilitou essa evolução foi a expansão da oficina. Em 2013, eles trabalhavam no quarto de empregada do apartamento do Lucas, em Santa Teresa. Atualmente, o escritório e ateliê ficam em um enorme galpão no subúrbio do Rio de Janeiro, que, apesar de distante da Zona Sul, está estrategicamente bem localizado em relação aos fornecedores. No espaço, há equipamentos de marcenaria e serralheria e estoques de produtos e matérias-primas. A Boobam não resistiu à tentação de visitar a oficina e acompanhar de perto um dia de trabalho dos designers – aproveitamos para montar o ensaio fotográfico que você confere aqui!

OFormigueiro-Boobam-10-08-18-Alta--37

Bandeja-Plie-Mármore
Lançamento, a Bandeja Plié está disponível em quatro pedras: Nero Márquina, Verdi Alpi, Piguês e Marrom Imperial.

 

OFormigueiro-Boobam-10-08-18-Alta--42

Tal estrutura dá autonomia para que eles explorem a madeira e o metal. “Dominamos todas as etapas de produção e desenvolvimento de peças com esses materiais, mas não deixamos de trabalhar também com mármore, resina, alumínio e latão”, conta Caio. Os lançamentos apresentados em junho na feira de design autoral Made, em São Paulo, – e já disponíveis na loja deles na Boobam – foram totalmente feitos na oficina. Há aparador, estante, banco e poltrona. “A Boobam é nosso parceiro chave. Vendemos muito bem pela plataforma. Acreditamos que estar ali é também um posicionamento de marca, pois estamos entre outros profissionais excelentes”, finaliza Caio.


 

Visite a loja O Formigueiro na Boobam:

Screen Shot 2018-08-30 at 22.07.21

Screen Shot 2018-08-30 at 22.07.42

Jornalista convidada: Flora Monteiro
Matéria exclusiva para o Blog Boobam
Fotos: Renan Lima

Flora Monteiro
Posted by:Flora Monteiro

Deixe uma resposta